Megatron culpa os Lions por aposentadoria precoce: “Não valia meu tempo”

Mais de um ano após anunciar a aposentadoria da NFL, o wide receiver Calvin Johnson, conhecido como Megatron, falou sobre os motivos que o levaram a tomar essa decisão tão jovem, aos 30 anos. O principal deles? O Detroit Lions. Na Itália participando de ações para promover a liga local de futebol americano, Johnson destacou que a falta de chances da equipe na disputa pelo Super Bowl foi a principal razão para que ele desistisse da carreira.

– Eu não via chances para eles ganharem o Super Bowl naquele momento e, pela dedicação que eu precisava ter, não valia o meu tempo continuar batendo a cabeça contra a parede sem ir à lugar algum. O objetivo de todo mundo quando chega à NFL é ganhar o Super Bowl. Esse é a meta. Eu queria vencer, só não via essa oportunidade com os Lions – explicou o ex-recebedor.

Em 2012, Megatron assinou uma extensão contratual com o time por sete anos no valor de US$ 132 milhões (R$ 429 milhões na cotação atual). Preso até 2019, o camisa 81 não via opções para conseguir trocar de time, já que os diretores dos Lions afirmaram que não o liberariam do contrato.

– Eu pensei nisso [trocar de time]. Mas não é como no basquete, que eles montam esses supertimes. No futebol americano não há essa liberdade para sair. Eu estava preso no meu contrato com Detroit e eles me disseram que não abririam mão, então eu teria que voltar para lá – lamentou Johnson.

Ao longo das nove temporadas que disputou em Detroit, Calvin Johnson se estabeleceu como um dos melhores recebedores da NFL. Foram seis convites para o Pro Bowl, além de três eleições para o primeiro time All-Pro. Ao todo foram 11.619 jardas recebidas e 83 touchdowns. Em 2012, quebrou o recorde de Jerry Rice, considerado o melhor jogador da história da NFL, de mais jardas recebidas em uma temporada, foram 1.964. A marca anterior era de 1.848.

Draftado em 2007 na segunda escolha geral, Megatron passou por um período de fracasso nos Lions, como no ano de 2008 em que teve 0 vitórias e 16 derrotas, único time na história a terminar a temporada regular sem vencer nenhuma partida. Perguntado se o histórico teve influência na decisão, o ex-atleta foi curto e grosso.

– Claro, além do meu corpo.

Esta não é a primeira vez que os Lions veem uma estrela de seu ataque deixar a carreira por conta das poucas aspirações de sucesso. Em 1998, Barry Sanders, histórico running back da liga, se aposentou também aos 30 anos, mesmo ainda tendo quatro anos de contrato com o time de Detroit. Sanders é o terceiro jogador com mais jardas corridas na história da NFL, com 15.269, atrás apenas de Walter Payton (16.726) e Emmit Smith (18.355) e foi eleito para o Pro Bowl em todas as suas 10 temporadas.

Da Redação

você pode gostar também