Hospital Auxiliadora busca parceria para repasse de recursos dos municípios atendidos

O Hospital Nossa Senhora Auxiliadora em parceria com a Prefeitura Municipal de Três Lagoas realizou na terça-feira (11), encontro entre prefeitos e representantes da administração pública dos municípios que a entidade atende no bolsão sul-mato-grossense. Referência na região, o Hospital atende pacientes de várias cidades.

O encontro teve como objetivo discutir sobre Qualidade e Sustentabilidade Hospitalar, resultante dos projetos em desenvolvimento de parcerias com os municípios que o Hospital atende.

Foram convidados nove cidades, entre, Água Clara, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Paranaíba, Cassilândia, Inocência, Santa Rita do Pardo e apenas os municípios que estiveram presentes com representantes foram: Três Lagoas, Brasilândia e Selvíria.

De acordo com o diretor administrativo do Hospital Auxiliadora, Ede Carlos dos Santos, o encontro foi necessário para apresentar os custos de todos esses municípios no qual o hospital é referência. De acordo com ele, a ideia é discutir e propor soluções sobre repasse de recursos provenientes das prefeituras. “A intenção é apresentar os custos, quantidade de atendimentos, internações e o quanto isso tem custado ao hospital. Hoje, nossa tabela SUS é deficitária e o objetivo era convidar os prefeitos para procurarmos uma solução em conjunto”, ressalta.

Ainda conforme o diretor administrativo, mesmo com a ausência dos demais representantes dos municípios, a reunião foi proveitosa com a presença do corpo clínico do Hospital, gerentes, funcionários e Conselho Construtivo. “Se a montanha não vai até Maomé, Maomé vai até a montanha, então, tenho certeza de que esses representantes tiveram outros compromissos e nós não iremos parar por aqui. Estaremos visitando esses municípios para apresentarmos a mesma planilha de custos do Hospital”, comenta.

Custos do Hospital com os municípios

Durante a apresentação, foram apresentados os custos que o Hospital Auxiliadora tem de cada município que atende. O custo para o Hospital por mês, entre internações, UTI e procedimentos ambulatórias com todos os nove municípios gira em torno de R$ 335 mil, chegando um custo por semestre de R$ 2 milhões.

O diretor administrativo falou também sobre o serviço de neurologia clínica e cirúrgica que não existe contratualização, para o hospital manter esse serviço que é de extrema importância para a população e que por mês tem o custo de: R$ 131 mil com a neurologia clínica e R$ 75 mil com a neurologia cirúrgica. “É uma despesa 100% custeada pelo Hospital para garantir essa especialidade aos nossos pacientes, mas hoje não conseguimos custear esse valor com os recursos que temos”, reforça.

Peregrinação nos municípios

Também presente no encontro, o prefeito de Três Lagoas, Ângelo Guerreiro, afirmou que fará novamente uma peregrinação nos municípios atendidos pelo Hospital, para buscar contrapartidas dos mesmos. “É natural eles pegarem uma ambulância e destinar o paciente aonde é referência ao nosso Hospital e com isso vem crescendo o déficit da entidade. O Hospital não tem fechado as portas para esses municípios, mas não é justo com o município de Três Lagoas arquear com todas essas despesas, então nós vamos buscar recursos desses municípios que atendemos”, explica.

O prefeito comenta também na possibilidade de ações beneficentes que esses municípios poderiam fazer em prol do Hospital Auxiliadora para custear essas despesas. Ele cita exemplo de leilões beneficentes. “Se esses municípios realmente se sensibilizassem até mesmo numa retenção via ICMS se for fazer falta num total de R$ 15 mil, vai chegar num montante de R$ 180 mil ano, então, um leilão que eles fizerem já daria esse valor para poder contribuir, então, requer a boa vontade desses municípios. Fora isso, poderia ser feito um consórcio que não precisaria ficar via retenção de ICMS que da total legalidade para esses municípios fazer a complementação para o Hospital Auxiliadora”, conclui.

Mariane Martins – Três Lagoas

você pode gostar também