Mato Grosso do Sul reduz ICMS para estimular abate de gado

O governo de Mato Grosso do Sul baiuxou medida reduzindo, temporariamente, de 12% pára 7% a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações interestaduais de gado. A medida vida estimular os abates, comprometidos desde que surgiu a crise da JBS, que respondia por quase 50% dos abates no estado. Com a redução da alíquota, o mercado começa a dar sinais de movimentação. Como a medida afetou estados vizinhos, trouxe de volta a guerra fiscal.

A situação em Matop Grosso não é diferente em Mato Grosso e o governo já anunciou a redução da alíquota do ICMS para gado em pé de 7% para 4%. A redução foi um pedido dos pecuaristas. Em Mato Grosso, a JBS responde por 50% do abate de gado. O projeto já está sendo elaborado.

No estado de Goiás a JBS responde por aproximadamente 40% dos abates e a redução do ICMS de 12% para 7% aguarda aprovação na Assembleia Legislativa.

Em Minas Gerais a situação é diferente. O ICMS está em 12%. Porém, a Federação de Agriocultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg) pediu ao governo mineiro o estabelecimento de barreiras para evitar a entrada de gado em pé, com incentivos concedidos pelo ICMS sem autorização do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), para ser abatido no Estado. Com isso os estados que baixaram a alíquota do imposto sem autorização do Confaz não tinham como exportar gado para abate em Minas.

Da Redação

você pode gostar também