Câmara aprova criação do programa família acolhedora e reajuste salarial dos servidores da educação

Na sessão da terça-feira (4), os vereadores de Três Lagoas aprovaram seis projetos de lei, entre eles o que organiza o serviço de acolhimento em residências familiares de crianças e adolescentes em situação de abrigo. O projeto de lei nº 89, oriundo do Executivo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, tem objetivo de humanizar o atendimento daqueles que estão judicialmente separados do seio familiar, provisoriamente, até que seja decido se serão levados à adoção ou regressarão à família de origem. Foi aprovado também o reajuste salarial dos servidores da educação
A medida foi apresentada aos vereadores, em reunião com a secretária Vera Helena, na manhã de terça-feira e defendida pela promotora de Justiça, Ana Cristina Carneiro Dias, durante a sessão. Na tribuna livre, a promotora explicou que existem 41 abrigados nas casas lares administradas pela prefeitura, por motivos que vão às agressões e abuso sexual, até dependência dos pais por álcool e drogas, além de abandono, maus tratos e negligência.

Ana Cristina relatou sobre a dificuldade de estar acolhido. Por isso, os operadores da Justiça têm pensado em como transpor a frieza dos locais, desde a melhoria nas instalações, deixando-as mais parecidas com um lar normal, para que a passagem seja o menos ruim possível, até a criação das casas lares e, agora, com a iniciativa da família acolhedora. “Não garanto que é a salvação, que é o melhor, melhor seria que cada família cuidasse dos seus filhos. Mas é o projeto que nós temos”, afirmou. Ela relatou que o projeto elaborado pela Secretaria de Assistência Social buscou parâmetros em outros municípios e a expectativa é de que as famílias três-lagoenses encampem a ideia de acolher as crianças e adolescentes.

REAJUSTES SALARIAIS
Outros dois projetos aprovados, nº 100 e 101, autorizam a prefeitura a conceder reajuste salarial aos servidores do Instituto Três Lagoas Previdência e para os servidores administrativos e do magistério, da Secretaria de Educação e Cultura. Quanto à previdência, o reajuste foi de 7,57% para efetivos e comissionados.
Já o reajuste salarial dos servidores administrativos da Educação e Cultura e do magistério é de 7,64%, conforme o piso nacional estipulado pelo Governo Federal. O reajuste é retroativo a janeiro de 2017, sendo que estes valores passados serão pagos em seis parcelas, entre julho e dezembro de 2017.

DENOMINAÇÃO DE RUAS
Os vereadores ainda aprovaram os projetos de lei nº 97, 98 e 99, alterando dispositivos em leis anteriores. Em todos os casos, foi mudada a redação, de forma a melhor delimitar a rua Aristone José da Silva, nos bairros Jardim Nova Alvorada da Capilé, a rua Heleyne Cristina Garcia Corrêa, no bairro Jardim Nova Alvorada, e a rua Henri Abud Dias, localizada no mesmo bairro. Nas leis anteriores, as confrontações e roteiro destas vias estavam imprecisos, dificultando os serviços de endereçamento dos Correios e concessionárias, como Sanesul e Elektro.

ALUNAS NA TRIBUNA
A tribuna livre também foi cedida para que alunas da escola municipal Elson Lot Rigo apresentassem reivindicações da comunidade onde vivem, como atividade do projeto desenvolvido na unidade, no qual estão estudando o Poder Legislativo.

Para o bairro Oiti e adjacências, Larissa, Maria Eduarda e Isabela, solicitaram asfalto, posto de saúde em funcionamento, iluminação pública, escolas e creches. Para a escola, reivindicaram muro mais alto, sala de informática e de leitura, mais salas de aula, almoxarifado e banheiros. Já para a educação do município, em nome dos pais, solicitam melhorias gerais e o trabalho da Câmara lado a lado com a população. Os alunos estão participando de um projeto de estudos e pesquisas sobre o Legislativo, coordenado pela professora Hilda.

O presidente da Câmara, André Bittencourt, assim como os demais vereadores, parabenizou a professora e a diretora da escola municipal, Marli, pela iniciativa. Foi solicitada a entrega formal das indicações para que sejam encaminhadas ao Executivo.
Pais e alunos da escola também participaram da sessão.

Da Redação

você pode gostar também