Saúde reduz em 70% o tempo de espera para ecocardiograma

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ampliou, desde o início do mês de junho, o número da disponibilidade de exames de ecocardiograma para reduzir em até 70% o tempo de espera dos pacientes, que chegava a quase dois anos.

Graças a uma nova contratualização de convênio de prestação de serviços de saúde da Prefeitura de Três Lagoas com o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, o número de exames de ecocardiograma pulou de 37 para mais de 240 por mês.

Com essa medida, que exigiu aumento dos investimentos de recursos próprios destinados à Saúde, o paciente não precisa mais esperar de 18 a 24 meses para a realização deste “importante exame de diagnóstico do funcionamento do coração”, como observou a diretora de Relações Institucionais da SMS, Rosalba Maria do Nascimento.
“É um exame de média complexidade que exige capacitação específica do profissional da Saúde para leitura e diagnóstico do que o ecocardiograma apresenta do paciente”, explicou Rosalba.

“É importante também que o paciente não falte, quando avisado da realização desse exame”, orientou a diretora de Saúde.

“Quando o exame é agendado e o paciente falta, mesmo sendo avisado com antecedência, há prejuízo na sequência da redução da fila de espera, porque outro paciente poderia ocupar o lugar do que ficou vazio”, explicou.

Por exemplo, no mês de junho, dos 242 exames marcados, 192 compareceram, o que acarretou 50 faltosos. “Foram 50 exames de ecocardiograma que deixaram de ser feitos, prejudicando 50 pessoas que poderiam ter sido atendidas”, observou Rosalva.

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM
O ecocardiograma é um exame de ultrassonografia do coração para fornecer imagens obtidas através do som para diagnóstico de toda a estrutura deste importante órgão vital do paciente.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Angelina Zuque, mais de 2,3 mil pacientes aguardavam vaga para a realização deste importante exame. “Acreditamos que esse serviço seja logo normalizado para melhor atendermos às necessidades de melhoria da qualidade do atendimento que a nossa população merece e tem direito”, ressaltou Angelina.

Da Redação

você pode gostar também