Araçatuba registra quatro assassinatos em menos de 24 horas

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em menos de 24 horas, quatro jovens foram assassinados a tiros em Araçatuba. Os casos foram registrados em bairros diferentes, mas a execução aconteceu da mesma forma: motoqueiros armados surpreenderam e alvejaram as vítimas durante o início da madrugada de sábado (1º) e domingo (2).

O primeiro caso aconteceu na madrugada de sábado, na Rua XV de Novembro, na fila de entrada de uma casa de shows da cidade, conforme publicado pelo O LIBERAL na edição de domingo (2).

Um motoqueiro se aproximou e atirou contra o jovem Marcos Felipe Ricardo Gava, de 17 anos. Ele morreu no local. Além dele, uma mulher de 23 anos também foi baleada no braço.

O criminoso fugiu na moto e até agora ninguém foi preso.

Na madrugada de domingo (2), dois atentados aconteceram na cidade e matou três jovens. Os crimes aconteceram nos bairros Jardim Atlântico e Jardim Rosele. As vítimas mortas no bairro Jardim Atlântico são os autônomos Lucas Raimundo Luiz Antônio, 18 anos, e João Vitor Borges da Silva, de 19. De acordo com a polícia, o autor dos crimes foi um motoqueiro, que estava em uma motocicleta vermelha. Ele atirou contra as vítimas na Rua José Trevisan Bacelar e fugiu em alta velocidade do bairro. Lucas morreu no local. Já Vitor chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia apreendeu cápsulas de munição calibre .45 na rua e 9mm, que são armas de uso restrito das Forças Armadas. O terceiro homicídio aconteceu no bairro Jardim Rosele. A vítima foi o vendedor Lucas dos Santos Galera, de 22 anos. Ele foi assassinado na varanda de casa, quando foi surpreendido por três homens em duas motos. Os criminosos chegaram a entrar na casa da vítima, que tentou se esconder, mas foi ? alvejada e morta.

Agora, a polícia investiga se os crimes têm ligação, já que a forma como ocorreram os assassinatos foram praticamente iguais. As três vítimas tinham passagem pela polícia por diferentes delitos. Os corpos foram encaminhados ao IML (Instituto Médico Legal) de Araçatuba, onde passaram por exame necroscópico antes de serem liberados para as famílias organizarem velório e enterro. Até agora ninguém foi preso.

KAIO ESTEVES – Araçatuba

 

você pode gostar também