Técnico de Conor: “Motivação é ouvir que o que ele vai fazer é impossível”

Quem pensa que uma bolsa de US$ 100 milhões de dólares (cerca de R$ 380 milhões) foi o principal fator para que Conor McGregor assinasse o contrato para enfrentar Floyd Mayweather, se engana. Pelo menos é o que garante o treinador do campeão dos pesos-leves do UFC, John Kavanagh. Em entrevista ao program “MMA Hour”, o técnico garantiu que o desafio de impôr ao americano a primeira derrota de sua carreira – Mayweather venceu as 49 lutas que fez como profissional no boxe – foi o que deu ao irlandês a motivação para encarar o desafio. Além disso, o descrédito geral aumentou em McGregor a vontade de provar, mais uma vez, que, para ele, o impossível não existe.

– A motivação para enfrentar Floyd Mayweather não foi o dinheiro, apesar de ser ótimo ser muito bem pago para fazer o seu trabalho. Foi o desafio. E ouvir a todo momento que é impossível fazer o que ele está prestes a fazer. Dinheiro não o motiva mais. Conor poderia ganhar a mesma coisa facilmente fazendo filmes ou licenciando sua marca. O que importa é o desafio. É por isso que ele treina sorrindo todos os dias. Se Conor parasse de lutar hoje, o que ele faria com todo esse tempo livre? Só se pode dirigir um carro ou fazer uma refeição de cada vez. Eventualmente você quer fazer algo divertido. Para Conor, essa coisa divertida é treinar. É disso que ele gosta.

Perguntado se McGregor se aposentaria após a luta contra Mayweather, John Kavanagh garantiu que essa ideia, até onde ele sabe, jamais passou pela cabeça de seu pupilo. Para ele, o compatriota estará de volta ao octógono em dezembro.

– Não vejo nenhuma razão para ele não voltar a lutar MMA. Nem mesmo o dinheiro. Conor me disse claramente: “Se prepare. Em dezembro estaremos de volta ao octógono”. Espero que alguém tenha interesse em enfrentá-lo, para que ele se empolgue em lutar.

Da Redação

você pode gostar também