Deputado defende a manutenção de Temer pela estabilidade do país

Nos próximos dias o PTB vai definir o caminho a seguir em relação à denúncia oferecida contra o presidente Michel Temer. Para que o Supremo Tribunal Federal possa abrir investigação, precisa de autorização da Câmara dos Deputados. São necessários 342 votos para aprovar a investigação. Ontem (1º), por telefone, o deputado federal Nelson Marquezelli disse que vai defender a manutenção do presidente Michel Temer “pela estabilidade do país”. Porém, vai seguir a orientação do partido.

“Estamos desviando de bala perdida”, disse o parlamentar ao ser questionado sobre o clima político em Brasília. Quanto à denúncia contra Temer, disse que será decidido na próxima semana. “A preocupação nossa é trocar mais uma vez o presidente faltando pouco tempo para terminar o mandato. O país está diminuindo a inflação, diminuindo os juros, aumentando as exportações. Está começando a contratar. Esta é a primeira preocupação. A segunda é tirar ele e colocar o presidente da Câmara, o (Rodrigo) Maia, que está enrolado. Colocar o presidente do Senado. Por quem nós vamos substituí-lo?” Indagou o parlamentar.

Segundo Marquezelli, essa é a maior preocupação. Na semana que vem o partido vai se reunir para decidir. “Para onde for a maioria, nós iremos”, disse.

“Minha visão particular e que vou defender no partido, é a continuidade do presidente Temer”, disse Marquezelli, que está em seu sétimo mandato consecutivo. O parlamentar ressalvou. “Não a absolvição, mas a continuidade”, disse, frisando que após sair do governo, Temer deve responder na Justiça.

Sobre o senador Aécio Neves, Marquezelli disse que o retorno dele ao Senado não é absolvição. “A justiça tem de agir”, acrescentou,

DELAÇÃO PREMIADA

Para o deputado Marquezelli, a Lava Jato deve continuar. Citou até mesmo verba substancial no orçamento para que o trabalho possa continuar. No entanto, Marquezelli defende a reformulação da delação premiada. “O cara que é bandido. O caro que roubou não pode ter perdão. Tem de cumprir pena. Pela delação, pode ter uma pena menor. Mas não pode ir para a Quinta Avenida em Nova York e zombar da cara dos brasileiros. Isso não pode ser feito. Ele deve ser penalizado de alguma maneira”, disse o parlamentar referindo-se ao empresário Joesley Batista, da JBS, que fez delação premiada

AGRONEGÓCIO

O deputado falou, também, dos avanços nas exportações e citou os números da agricultura. “A agricultura é a grande locomotiva do Brasil”, disse Nelson Marquezelli.

ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba

você pode gostar também