Fíbria mantém interesse na Eldorado e pode se unir à Arauco

Desde que ventilada a possibilidade de venda da Eldorado Brasil, empresa controlada pela J&F, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, três gigantes do ramo se movimentaram: Arauco (Chile), a Suzano e a Fíbria. Porém, a Eldorado e a Araujo assinaram termo de confidencialidade e com isso o grupo chileno saiu na frente. Uma missão está em Três Lagoas para avaliação do empreendimento. Porém, isso não significa que as demais desistiram. A Fibria, maior companhia de celulose do mundo, planeja firmar sociedade com a chilena Arauco na compra da Eldorado Brasil. A notícia foi veiculada pelo jornal o Estado de São Paulo em sua edião desta quinta-feira.

O jornal afirmou que, conforme apurado, contudo, a Eldorado faz mais sentido à Fibria, que tem o grupo Votorantim e o braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDESPar, como principais acionistas. A chilena Arauco não tem uma participação relevante no mercado brasileiro de papel e celulose. A compra da Eldorado seria a porta de entrada da companhia no País.

De acordo com o jornal, o fato de a Arauco e a Fibria terem acionistas em negócios estratégicos abre espaço para uma possível sociedade entre as duas companhias, segundo uma outra fonte. A Arauco contratou o banco Santander para assessorá-lo na operação. A Fibria tem com o assessor o banco Morgan Stanley.
Fíbria e Arauco não se manifestam sore o assunto.

Da Redação

você pode gostar também