Prefeitura confirma retirada de quatro dos 15 jacarés existentes na Lagoa Maior

A Prefeitura de Três Lagoas iniciou a retirada de quatro dos 15 jacarés existentes na Lagoa Maior. Com apoio e reconhecimento da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema), Ministério Público (MP) e maioria dos membros da Câmara Municipal, a Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (Semea), com apoio e execução direta da Embrapa Pantanal, realizará a retirada dos répteis. O trabalhofoi iniciado nesta terça-feira.

Segundo o secretário de Meio Ambiente e Agronegócio, Celso Yamaguti, a remoção é uma forma de evitar acidentes com crianças e animais de estimação, além de proteger os próprios jacarés-de-papo-amarelo. “Tememos pela segurança da população, principalmente de crianças e animais de estimação que usam o local como ponto de lazer. Além disso, os animais serão levados para a Reserva Particular do Patrimônio Natural [RPPN] em Cisalpina que fica na cidade de Brasilândia”, ressaltou.

O secretário explica ainda que o lugar tem 6.261,75 hectares de área protegida, além de contar com extensa várzea inundada periodicamente, formada por um complexo de sistema de lagoas, córregos e canais interligados entre si. “Outro ponto positivo, é que essa espécie já ocorre nesse local, ou seja, o ambiente é propício para a sobrevivência e desenvolvimento deles”, explicou Celso.

Outro ponto positivo, segundo o fiscal ambiental da SEMEA, Flávio Fardin, é que o local além de ser amplo, é constantemente monitorado pela Cesp, pois essa executa o plano de manejo do local e a Embrapa Pantanal realiza constantes pesquisas, algo que colabora amplamente para a segurança e preservação dessa e de outras espécies animais que habitam a reserva.

AUTORIZAÇÃO
O Imasul emitiu uma autorização ambiental para que a Prefeitura consiga fazer a retirada dos animais com ajuda da Embrapa Pantanal, sendo que a equipe que executa o serviço é comandada pela doutora e pesquisadora Zilca Maria da Silva Campos, que tem a licença SISBIO e uma equipe qualificada para o manejo dos animais, sendo que já realizaram mais de 6 mil capturas de jacarés sem nenhum tipo de acidente.

CAPIVARAS
Celso Yamaguti explica ainda que as capivaras do local também receberão uma atenção especial em um futuro próximo. No momento, a Semea está realizando a contagem dessa espécie, sendo que no último senso mensal foram contabilizados 160 animais (120 adultos e 40 filhotes).

“Como não vamos retirar todos os jacarés, ainda terá um controle natural das capivaras, mas entendemos a necessidade de visualizar essa situação também, porém faremos de maneira legal e que não prejudique o desenvolvimento da espécie”, ressaltou Celso.

Em relação ao cercamento da Lagoa Maior, o secretário afirma que será analisado com cuidado, pois pode não ser a melhor opção, haja vista que se esse método for aplicado na parte interna da pista de caminhada os locais de pastagem ficarão extremamente reduzidos e se o mesmo for feito na parte externa na lagoa, não protege os animais de ter contato direto com a população que frequenta o local.

Da Redação

você pode gostar também