O frio que aquece o turismo brasileiro

Turistas, preparem os agasalhos! O inverno chegou e, com ele, as cidades frias do Brasil estão de braços abertos para aquecerem a economia e receberem visitantes que buscam clima ameno, boa gastronomia e eventos culturais típicos da época. A Agência de Notícias do Turismo preparou destinos que vão de neve (isso mesmo, neve no Brasil) às baixas temperaturas em pleno nordeste.

São Joaquim (SC) – No inverno, quando os termômetros marcam -10 graus, chega a nevar na cidade catarinense. Por lá, cachoeiras e campos ficam congelados e o visitante que gosta do clima frio aproveita para curtir as atrações, que incluem visita a Vinícola Villa Francioni, a serra do Rio do Rastro e ao Snow Valley, local repleto de diversões radicais. Por lá, o turista pode participar do Festival de Inverno e da Cavalgada da Nevasca, que acontecem nos meses de junho e julho.

Domingos Martins (ES) – Música e friozinho fazem parte da programação turística de Domingos Martins. Localizada em uma região serrana, onde as temperaturas giram em torno de 12 graus e a neblina cobre a cidade. No inverno, essas temperaturas tendem a diminuir mais ainda e combinar com o charme da arquitetura local e o passeio de trem. O XXIV Festival de Inverno de Música Erudita e Popular, maior evento de música clássica do estado, realizado em julho na cidade, embala os turistas que estiverem na cidade nesta época do ano.

Santo Antônio do Pinhal (SP) – Por estar a 1.080 metros de altitude e ser considerado um dos 15 municípios paulistas de estâncias climáticas, Santo Antônio do Pinhal é destino frio o ano todo. Mas, no inverno, frentes frias fazem os termômetros marcarem até 6 graus, além de formarem geadas que embelezam a paisagem da cidade. O clima das montanhas permite ao turista escolher entre relaxar ou aproveitar uma aventura. Do Pico Agudo, é possível apreciar vista panorâmica da Serra da Mantiqueira ou praticar voo livre.

Guaramiranga (CE) – Mesmo estando no Nordeste, região típica de calor, a menor cidade do Ceará é fria. Guaramiranga é considerada a “suíça cearense” e mantém temperaturas de 12 graus durante inverno. O município é conhecido pela variedade de flores e pela preservação ambiental, além das características históricas percebidas em suas construções. Há, por exemplo, uma pousada que já foi mosteiro e pode ser visitada por quem não está hospedado. Os cantos gregorianos são tradição, entoados nas manhãs do antigo prédio religioso.

Gravatá (PE) – Em pleno agreste pernambucano está a cidade que marca 10 graus no termômetro durante o outono e inverno. Gravatá faz parte do Circuito do Frio de Pernambuco e atrai turistas por ser diversa e oferecer queijos, vinhos e chocolate quente, sem deixar de lado as tradições nordestinas no cardápio, como a famosa buchada de bode. O folclore regional também é lembrado em Gravatá e pode ser visto na produção de móveis rústicos e pequenos objetos de decoração. Quem busca atrativos naturais encontrará uma cidade cercada por matas, piscinas naturais e cachoeiras.

As cidades de inverno citadas no roteiro fazem para do Mapa do Turismo Brasileiro, ferramenta criada pelo MTur, em parceria com estados e municípios, para desenvolver políticas públicas de turismo em diversas regiões do país. O Mapa é um instrumento instituído pelo Programa de Regionalização do Turismo e está acessível à população. Atualmente, conta com 2.175 municípios, divididos em 291 regiões turísticas.

DA REDAÇÃO BRASÍLIA

você pode gostar também