Expô 2017 vai investir na agricultura de precisão

A exemplo de outras atividades, a agropecuária também passa por processo de transformação e pela própria natureza, sofre mais impactos, pois está sujeita às variações de mercado, condições climáticas e até mesmo a falta de política pública. O proprietário rural precisa produzir mais, com mais qualidade e em áreas menores para agregar valor. No entanto, além da resistência normal às inovações, nem sempre as informações chegam da forma ideal. É exatamente nisso que o Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran), está investindo para a Expô Araçatuba 2017, que será desenvolvida no período de 7 a 16 de julho: inovação tecnológica com agricultura de precisão. Portanto, a inovação não será apenas na área do entretenimento, com dois shows por noite e em espaço totalmente coberto. A inovação é em todas as áreas.

Segundo o presidente do Siran, Marco Viol, é preciso inovar e diversificar. Ele disse que a região está passando por mudanças, com o retorno de determinadas culturas, além do investimento na soja e milho nas áreas para renovação de pastagens. Além disso, há os canaviais, com importância econômica. Viol disse que esse trabalho vai ser feito pela Coopercitrus, que está em processo de incorporação da Cobrac. A cooperativa, que atua com vários pilares, estimulando diferentes culturas, pode ter papel fundamental neste processo. Para tanto, em parceria com a Coopercitrus, o Siran vai promover ciclo de palestras com especialistas de renome internacional. Além disso a cooperativa vai expor equipamentos de última geração, como drone para pulverização e plantadeiras coordenadas por GPS.

O presidente do Siran explicou que o seminário, com várias palestras, vai abordar a cana-de-açúcar e a novidade que é a muda pré-brotada; crédito e outros assuntos. A integração agricultura-pecuária será outro assunto a ser debatido no seminário. “A agricultura de precisão é o caminho que deve ser seguido”, diz Viol.

ANIMAIS
O presidente do Siran falou também sobre a exposição de animais, que vai começar efetivamente no dia 12 de julho, cinco dias após o início dos shows. “Esta é uma decisão adotada em várias exposições para evitar que os animais fiquem longo período expostos a barulho e contato com as pessoas. Isso tem causado problemas aos animais”, disse ele.

A exposição terá equinos, ovinos, bovino nelore, senepol e raças leiteiras. Há também uma extensa agenda de leilões.

RECINTO
Há várias semanas o recinto de exposições está com intenso movimento de trabalhadores montando a estrutura para a festa. Este ano uma das inovações é a estrutura coberta para shows, que está quase pronta.

Antônio Crispim

você pode gostar também