Roger explica mudanças no time do Atlético e comenta conversa com o presidente

O técnico Roger Machado confirmou que vai escalar os reservas do Atlético na partida contra a Chapecoense, neste domingo, às 19h, na Arena Condá, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O único titular será o volante Rafael Carioca.

O treinador do Galo explicou que a decisão tem respaldo da diretoria e disse que a intenção é preservar os principais jogadores para a sequência decisiva de jogos nos próximos dias: duelo contra o Botafogo, quinta-feira (29/06), pela Copa do Brasil; clássico com o Cruzeiro, domingo (02/07), pelo Campeonato Brasileiro, e eliminatória com o Jorge Wilstermann-BOL, quarta (05/07), em Cochabamba, pela Libertadores.

“São jogos decisivos nos próximos 10 dias que dirão muito do nosso futuro no ano inteiro. Em alguns momentos, temos de fazer escolhas. Em função do momento no Brasileiro, alguns dirão que não é adequado, mas temos que fazer um planejamento adequado para chegar bem e com a confiança em alta para disputar os mata-matas”, disse o comandante alvinegro.

A estratégia de Roger é arriscada. Ele vive o momento de maior pressão no Atlético. Uma derrota para a Chapecoense pode deixar o clube alvinegro na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O Galo está no 16º posto, com 10 pontos, um a mais que o Sport, primeiro clube na área da degola.

Galo deve enfrentar a Chapecoense com Giovanni; Yago, Matheus Mancini, Rodrigão e Leonan; Roger Bernardo, Rafael Carioca, Marlone, Otero e Valdívia; Rafael Moura.

“Estou buscando alternativas num momento de instabilidade, pois algumas peças conseguem render mais. Quero buscar soluções. É a chance dos jogadores que jogam menos”, disse Roger.

CONVERSA COM O PRESIDENTE
O presidente Daniel Nepomuceno conversou longamente com Roger Machado no vestiário do Independência, após o empate com o Sport (2 a 2). Nessa quinta, o presidente alvinegro estava presente na reapresentação alvinegra, na Cidade do Galo.

“O planejamento vinha sendo delineado há mais tempo. Depois de um empate em casa, a gente reavalia ou se mantém o que vinha sendo planejado. Entendemos que era importante manter o que vinha sendo feito. Vamos privilegiar os jogos mais decisivos. A conversa ontem transcorreu normalmente, diferente do que foi noticiado que a cúpula havia se reunido para discutir minha permanência. A conversa existe quando o presidente está. Ele cobra, numa função normal. Ele reiterou sua confiança e nos deu liberdade para tomar decisões pertinentes. Uma conversa com outro jogador para que entendamos o momento. Entramos juntos e vamos sair juntos, com muito trabalho”, disse Roger.

Da Redação

você pode gostar também