Ministério confirma desligamento de Birigui do Mais Médicos

Birigui não está mais vinculada ao Programa Mais Médicos desde o dia 13 de junho, confirmou o Ministério da Saúde ao Liberal Regional nesta sexta-feira (23). O desligamento foi solicitado pelo município, que resolveu abrir mão dos 11 profissionais cubanos que atuavam desde abril de 2014 na rede municipal de saúde da cidade. De acordo com a Prefeitura de Birigui, eles continuam atendendo no município até o término do convênio, o que deve acontecer em 60 dias, quando deverão retornar a Cuba.

A notícia veio à tona após o prefeito Cristiano Salmeirão publicar no seu perfil em uma rede social uma espécie de comunicado-desabafo. “Como posso resolver o problema da saúde de Birigui com apenas 16 consultas por dia em cada Unidade Básica de Saúde, apenas de segunda-feira a quinta-feira? ”, perguntou o prefeito nas redes sociais. Em seguida, a Prefeitura divulgou uma nota com justificativas para o pedido de desligamento, argumentando que conseguirá aumentar o número de atendimentos com médicos que não estão vinculados ao programa federal.

A medida tem gerado críticas de moradores nas redes sociais, que defendem a permanência dos profissionais estrangeiros. O morador Arlei Cremon Domingues disse na página do prefeito que a decisão foi um erro. “Me desculpe a franqueza, mas foi um erro funesto rescindir com os cubanos, pois o atendimento deles nem se compara ao dos brasileiros. Sou brasileiro e digo sem medo de errar: temos muito a aprender com os cubanos”, publicou na página do prefeito Salmeirão. Leivas Vieira disse que “só precisa educar esses médicos brasileiros; o atendimento é péssimo e os cubanos dão um show no quesito educação e atendimento”, desabafou. O Ministério enfatizou, por meio de nota, que a adesão e permanência tanto do município quanto do médico no programa são voluntárias.

Fernando Verga

você pode gostar também