Alesp reconhece entidade de Lins como de Utilidade Pública

O Centro de Estudos do Menor e Integração na Comunidade (Cemic), importante organização sem fins lucrativos de Lins, recebeu o título de Utilidade Pública Estadual pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A certificação é em reconhecimento pelos serviços prestados à população durante os 50 anos de história da entidade. O projeto de lei foi apresentado pelo deputado André Soares (DEM). “O Cemic é uma importante instituição na cidade de Lins. Um local que atende jovens em situação de vulnerabilidade social e que deve ser reconhecido pelo Estado, por isso fiz questão de apresentar o projeto”, enfatiza o deputado.

O Cemic é uma organização sem fins lucrativos, de caráter educacional, cultural e de assistência social, que se dedica, há 50 anos, às atividades preventivas de promoção de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. A entidade realiza projetos que vão desde atividades de artesanato, música, futebol, basquete, teatro, capoeira e primeiros socorros, dentre outras, à orientação e capacitação do Menor Aprendiz para o mercado de trabalho.

O título dá direito ao Cemic de ser tratado de forma diferenciada em suas relações com o Poder Público, como pleitear verbas, programas e projetos governamentais, agregando benefícios no seu desempenho funcional. De acordo com a diretora da instituição, irmã Maria Nilda Cavalcante Rangel, foi uma situação inesperada. “Um dia nos visitou um assessor do deputado André juntamente com dois pastores, que vieram conhecer a instituição. Eles ficaram encantados com o que viram aqui e acabamos recebendo sem pedir. Não é uma coisa de Deus? ”, disse irmã Nilda, que ainda não conhece o deputado autor do projeto de lei.

A entidade atende a 545 assistidos, atualmente, sendo 177 crianças de 6 a 11 anos; 95 adolescentes de 12 a 14 anos; e 103 jovens de 15 a 16 anos. O Cemic conta também com 90 Menores Aprendizes, que estão inseridos no mercado de trabalho por meio do projeto Primeiro Emprego. O projeto oferece curso de qualificação profissional na função de Auxiliar de Escritório em Geral, reconhecido e validado pelo Ministério do Trabalho e Emprego. A entidade também atende 80 Agentes da Zona Azul, que são jovens maiores de 18 anos, projeto realizado em parceria com a Prefeitura de Lins.

TUDO PELO PRÓXIMO
Irmã Maria Nilda conta que nestes 50 anos de história a instituição, que é ligada aos salesianos, contou com importantes parceiros, como a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FAL), Exército Brasileiro e Prefeitura de Lins. “Quando construiu o maravilhoso prédio da Prefeitura, havia uma vila paupérrima bem em frente, no bairro Ribeiro. Como a FAL tem a missão de transformar o ambiente em que está, começamos um trabalho no bairro envolvendo os universitários”, relembra. Daí em diante a ação de transformação ganhou fama e os próprios estudantes levaram o exemplo de Lins para outros estados, que ganhou apoio da Unicef.

De acordo com ela, foram os próprios universitários, no início dos anos 1970, que firmaram parceria com a Prefeitura e conseguiram uma parte do atual terreno onde a instituição está localizada. Dois anos após esta conquista, a faculdade comprou a outra parte. “Foi um trabalho pioneiro de apoio ao menor e a população de Lins abraçou o projeto”, diz. Em 1975 a instituição alemã Misereor, ligada à Igreja Católica, enviou auxílio financeiro e foi construído o primeiro bloco do Cemic, que teve o projeto elaborado por universitários voluntários. Eles também fizeram o primeiro projeto de saneamento do bairro Ribeiro, que por conta da miséria motivou a criação da instituição.

Fernando Verga

você pode gostar também