Cetesb autoriza ampliação de aterro sanitário e Prefeitura inicia licitação

A Prefeitura de Araçatuba publicou nesta quarta-feira (21) no Diário Oficial do Município o aviso de licitação para ampliação do Aterro Sanitário. O investimento será de aproximadamente R$ 796 mil, recursos do tesouro municipal. A obra, que foi autorizada pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – Cetesb, prevê fornecimento de materiais e instalação dos isolantes e drenos da nova célula. A parte de escavação está sendo feita pela Prefeitura.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Petrônio Pereira Lima, diz que com a ampliação a capacidade de despejo de lixo aumentará em 110 mil metros cúbicos, o que prolongaria a vida útil em 18 meses. A Prefeitura informou que já está preparando estudos para ampliações futuras. A licença para operação do aterro sanitário de Araçatuba foi renovada recentemente pela Cetesb até o dia 31 de julho deste ano. A anterior venceu em 30 de abril.

De acordo com o secretário, a ampliação vai sanar as dúvidas sobre o futuro do aterro. “É a solução técnico-ambiental mais pertinente, uma vez que manteremos em operação o aterro existente com impactos já definidos e consolidados, em área pública e com operação avaliada com notas excelentes”, explica.

Atualmente, o aterro tem expectativa de sobrevida de 24 meses. Todos os dias são depositados cerca de 180 toneladas de lixo no espaço. A empresa responsável pela gestão do lixo na cidade é a Monte Azul Engenharia Ltda, que executa contrato no valor de R$ 11.234.021,04 para os serviços de coleta e transporte de lixo, varrição, limpeza, lavagem e higienização de vias e logradouros públicos, operação e manutenção de unidade de triagem e operação, manutenção e monitoramento do aterro.

PODE DURAR MAIS

Petrônio diz que a Prefeitura irá investir em educação ambiental e coleta seletiva no segundo semestre, tema que foi discutido neste ano durante a Semana do Meio Ambiente. “O objetivo é aumentar o índice de coleta, diminuir o volume de resíduo que é depositado no aterro, prolongando sua vida útil e, consequentemente, cumprir as metas estabelecidas no Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Araçatuba”, explica. De acordo com ele, isso poderia reduzir em até 30% o volume de lixo no local.

RESÍDUOS SÓLIDOS

Considerado o maior desafio pelo secretário Petrônio Pereira Lima, a reorganização dos resíduos sólidos, provenientes da construção civil, ganha novo capítulo também neste segundo semestre. A Prefeitura irá fechar o lixão do bairro Arco-íris, onde o entulho é despejado, até o fim de setembro, e abrirá uma área de 20 mil metros quadrados própria para o armazenamento deste material ao lado do Aterro Sanitário. “Nós vamos fazer uma central de triagem dos resíduos da construção civil, inicialmente, e o passo seguinte, para o ano que vem, é britar o resíduo”, informa.

A ideia é utilizar o material britado em estradas e como base para pavimento. A licença para esta nova área já foi solicitada à Cetesb e Lima explica que não se trata de algo complexo como o aterro. “Só preciso da licença por que temos a intenção de britar”. Como complemento desse processo de organização da coleta e destinação dos resíduos sólidos a Prefeitura irá abrir mais 8 Ecopontos, que são espaços preparados para receber quantidades menores de entulho e galhada de poda, normalmente transportados por veículos pequenos ou carroceiros. Atualmente há dois em funcionamento, inaugurados pela administração anterior nos bairros Caraza e Lago Azul. Os próximos serão em bairros de regiões onde ainda não há este espaço.

FERNANDO VERGA – Araçatuba

você pode gostar também