Visitas de presidiários são flagradas com celulares, drogas e componentes eletrônicos

Os dias 17 e 18 de junho, foram marcados por flagrantes de apreensões com visitantes de presidiários em penitenciárias subordinadas à Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado. Celulares, drogas, fios, fones, carregadores e componentes eletrônicos foram encontrados por agentes, sendo que os materiais estavam introduzidos nas partes íntimas das visitantes, durante procedimentos de revista.

As pessoas flagradas tentando entrar com ilícitos nas unidades prisionais são excluídas do rol de visitas e levadas à Delegacia de Polícia mais próxima. Também é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os materiais.

No sábado (17), na penitenciária de Lucélia, uma visitante foi flagrada tentando entrar na unidade com um invólucro de maconha escondido no órgão genital, confessando e retirando em seguida. Acionada a Polícia Militar, a mulher foi presa em flagrante por tráfico de drogas. Da mesma maneira, a irmã de outro presidiário tentou entrar no presídio com objetos ilícitos. Como não conseguiu retirá-los do corpo, foi necessário encaminhá-la a Santa Casa local, onde foi submetida a exame de Raio-X e procedimento médico para retirada dos objetos: fios de cobre e fones de ouvido.

Após denúncia anônima, durante o procedimento de revista, a visita de um presidiário de Paraguaçu Paulista da unidade confessou estar portando nas partes íntimas uma quantia de entorpecente para entregar ao companheiro. Após retirar e entregar o material, informou que se tratava de maconha. A PM foi acionada, conduzindo a mulher para a delegacia, e o presidiário encaminhado ao pavilhão disciplinar.

Já no domingo, na Penitenciária “Paulo Guimarães” de Lavínia II, ao passar pelo detector de metais do tipo portal, a visitante L.F.P da S. foi surpreendida pelo sinal sonoro e confessou trazer introduzido na genitália um invólucro com um aparelho celular e aproximadamente 50 cm de fio. O mesmo aconteceu com P.F.J de C. que trazia, de forma semelhante, um aparelho celular no formato relógio de pulso e componentes eletrônicos.

Na Penitenciária “Luís Aparecido Fernandes” de Lavínia III , três mulheres foram encaminhadas para a delegacia de polícia após tentativa de adentrar no presídio com aparelhos celulares, introduzidos no órgão genital. Uma delas é a mãe e as demais são companheiras de presidiário que cumprem pena no local. Após passarem pelo aparelho detector e o equipamento sinalizar positivamente para a presença de material metálico, sendo repetido o procedimento, ambas acabaram confessando o fato.

Na penitenciária de Valparaíso, ao passar pelo detector de metais, a companheira do sentenciado S.R.A.S demonstrou muito nervosismo após acionamento do aparelho. A mulher foi então encaminhada à Santa Casa local, onde o exame de Raio-X constatou a presença de algo introduzido nos órgãos genitais. Após ser retirado, constatou-se tratar de erva esverdeada aparentando maconha e cinco componentes eletrônicos para celular. O material juntamente com a visitante foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil.

Em Riolândia, três mulheres foram impedidas de visitar os companheiros que cumprem pena na unidade prisional após serem flagradas por detectores de metais portando materiais ilícitos nas partes íntimas. Uma trazia maconha, outra trazia o mesmo entorpecente e um carregador de celular improvisado e uma terceira portava um aparelho celular, um cabo USB e um fone de ouvido. A PM foi acionada e todas encaminhadas para a delegacia.

DA REDAÇÃO – Lavínia

você pode gostar também