Moradores do Nova Iorque reivindicam melhorias

Na tarde desta terça-feira,20, a prefeita Fátima Nascimento recebeu em seu gabinete um grupo de moradores do bairro Nova Iorque. A pauta do encontro era reivindicação de melhorias em prol do bairro, bem como de toda a cidade. Entre as cobranças do grupo estava o pedido de mais empregos para o município. “A gente quer saber se tem como a senhora trazer empresas prá cidade, pra trazer empregos prá nós”, pediu Paulo Cesar Silva Moreira,33, que atuou como porta voz durante a reunião.

Além de empregos, o grupo questionou a falta de médico no hospital para agilizar o atendimento, a continuidade da construção das obras públicas e até os terrenos para os Sem Teto.

A prefeita explicou aos representantes do bairro que não tem autonomia sobre a contratação dos profissionais que atuam no hospital “José Fortuna”, mas garante que todo mês faz os devidos repasses de verba à unidade. “Repassamos R$ 3 milhões por ano e esse recurso eles usam para as despesas deles. Não posso interferir na contratação que o hospital faz”, explicou. Porém, Fátima falou dos novos médicos cubanos que vão chegar esta semana para atender no município. Quanto as empresas virem se instalar em Castilho, a prefeita lamentou que a crise pela qual passa o país não dá segurança para os empresários investirem. Mas acredita que no segundo semestre as coisas podem melhorar.

Uma reclamação feita a prefeita foi quanto ao atendimento que tem sido feito pelo Fundo Social de Solidariedade. De acordo com Maristela Moreira, outra integrante do grupo, algumas pessoas do bairro estão tendo dificuldades em conseguir cestas básicas e alegou muita burocracia por parte dos funcionários públicos. “Muitas vezes tenho que sair 4 horas da manhã de casa para atravessar a cidade e ir até o Fundo Social em busca de uma cesta e nem sempre consigo. Tenho que voltar três ou quatro vezes até conseguir. Quando vão em nossa casa, ficam fazendo perguntas inúmeras perguntas como se fossem da polícia”, reclamou a moradora.

A prefeita disse que desconhecia esse procedimento e se comprometeu averiguar o que estava ocorrendo. Porém, solicitou que Maristela fizesse a reclamação por escrito para dar encaminhar ao setor competente. Fátima avaliou de forma positiva as reivindicações dos moradores.

Da Redação

você pode gostar também