Araçatuba mantém saldo positivo na construção civil

Apesar do registro negativo na geração de empregos na construção civil em abril em todo o país, Araçatuba e cidades da região mantiveram o bom índice de crescimento no setor.

Os dados que mostram isso são da pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE).

De acordo com o levantamento, Araçatuba manteve saldo positivo no mercado de trabalho da construção civil, porém o ritmo de contratações perdeu força. Em abril foram abertas duas novas vagas, o que representa aumento de 0,06% em relação a março.

Desde o início as contratações em Araçatuba superam as demissões em todos os meses. Agora, são 3.301 empregos formais no setor.

Outra cidade da região que também segurou os empregos do setor foi Andradina, que criou quatro novos postos de trabalho no mês, representando aumento de 0,43% em relação a março. O município tem 934 empregos formais no setor e vem registrando saldos positivos no emprego na construção civil desde o início de 2017.

Em Birigui, o registro também foi de crescimento modesto, mas sem demissõesl. Foram criados nove novos empregos, o que representa aumento de 0,95% em relação a março, elevando para 960 o total de trabalhadores com carteira assinada na construção civil no município.

Em outras cidades do noroeste paulista como Catanduva e São José do Rio Preto tiveram fechamento de vagas.

ESTADO E PAÍS
Assim como no Estado de SP, que registrou queda de 0,05% com relação ao mês anterior. O estoque de trabalhadores foi de 684,8 mil para 684,4 mil em março (-368). Em 12 meses, são menos 90.430 trabalhadores no setor (-11,67%).Desconsiderando a sazonalidade, houve redução de 0,96% (-6.596 mil vagas). As regiões de Santos, Presidente Prudente e São Paulo capital foram as que mais demitiram.

No país, o ritmo de queda do emprego na construção arrefeceu em abril, mas continuou em queda pelo 31º mês consecutivo.

Foram eliminadas 874 vagas em todo o Brasil em abril, queda de 0,04% em relação a março. Ao todo, hoje, o setor tem em média 2,47 milhões de trabalhadores.

Kaio Esteves

você pode gostar também