Secretário discute futuro do Zoológico e falta de árvores em Araçatuba

Com foco em reciclagem e biodiversidade, a Semana do Meio Ambiente chega ao fim neste final de semana e vem oferecendo à população, principalmente estudantes, a possibilidade de aprender sobre preservação ambiental. Em entrevista publicada no último domingo (4) pelo jornal O Liberal, o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade Petrônio Pereira Lima explicou que destacar a reciclagem como tema das atividades é uma preparação para o trabalho que a pasta irá desenvolver nos próximos meses. O município pretende que a coleta seletiva seja mais intensa em Araçatuba e que isso amplie a vida útil do Aterro Sanitário local.

Este é um dos projetos elencados pelo secretário, que apontou os rumos que a administração Dilador deve dar a outros desafios ambientais que a Prefeitura tende a enfrentar. Um deles é o Zoológico Municipal doutor Flávio Leite Ribeiro. Lima conta que a primeira medida foi fazer uma limpeza geral no espaço. “Tiramos vários caminhões de coisas de lá”, disse. A principal preocupação com relação ao Zoo é regularizar o espaço. “Estamos trabalhando muito para cumprir as exigências dos órgãos fiscalizadores para conseguir a licença de funcionamento, por que ele não tem ainda”, afirma.

No momento, este é o único plano a curto prazo da Prefeitura para o local. “O esforço nosso é no sentido de regularizar mesmo. Uma vez regularizado, temos uma previsão de fazer um aproveitamento maior da área, um parque mais multiuso para juventude, pois se trata de um local bem visitado”, destaca. Este tema foi amplamente debatido durante a campanha eleitoral, quando o então candidato Dilador causou polêmica ao afirmar que entregaria os animais ao Ibama para implantar o projeto do Centro da Juventude. À época, ele disse que seria um local com trilhas, quadras, minicampo e outras estruturas para oferecer esporte e lazer.

O secretário de Meio Ambiente diz que a administração está cuidando do bem-estar dos animais e de questões básicas, como limpeza e manutenção. “O nosso esforço é não deixar faltar alimentação, tudo para o bem estar dos animais. Tivemos episódios de animais morrerem, mas isso nunca foi negligência, nunca houve maus tratos. Eu encontrei funcionários dedicados por lá. Morreu por que tinha que morrer”, enfatizou.

ARBORIZAÇÃO

A Secretaria de Meio Ambiente está preparando um plano de arborização para os bairros de Araçatuba, pois o déficit de árvores na área urbana é estimado entre 40 e 45 mil árvores. Estudo utilizado pela Secretaria de Meio Ambiente mostra que a cidade possui no máximo 13% de cobertura arbórea, quando a exigência mínima da Organização das Nações Unidas (ONU) é de 30%. “Estamos feio no negócio, por isso plantamos árvores em todos os nossos eventos”, disse Petrônio.

Ele explica que desse total de 13% de cobertura que a cidade possui 70% é de apenas uma espécie, o oiti. “Há uma predominância dessa espécie e precisamos diversificar. Há muitas árvores plantadas em lugares inadequados, espécies inadequadas em áreas impróprias”, explicou. Por conta disso, a secretaria realizou um curso de poda e arborização recentemente para orientar profissionais e população em geral sobre questões de poda e plantio de árvores. Na oportunidade, foi elencado um hall de espécies que devem ser utilizadas na cidade. O ex-secretário da pasta, Jorge Hector Rozas, disse que na gestão anterior foram plantadas cerca de 30 mil árvores na área urbana e rural, variadas de 40 espécies.

CORTE DE ÁRVORES

Para Petrônio, a extração de árvores não deve ser motivo de polêmica se for feita dentro da lei e com a autorização da secretaria. ‘ Da mesma forma que estamos montando os planos para o projeto de arborização dos bairros nós não ficamos constrangidos em autorizar a erradicação de uma árvore se ela está causando um problema, ou doente ou colocando algum cidadão em risco”, argumentou.

LIMPEZA DO PEBA

Neste sábado, a partir das 8h30, voluntários se reúnem no Parque Ecológico Baguaçu (PEBA) para realizar a tradicional limpeza do Parque. O trabalho foi iniciado em 2009 e vem sendo realizado desde então. O lixo encontrado no local diminui a cada ano, mas o esforço vem se repetindo por que ainda é retirada, anualmente, cerca de uma tonelada durante esta atividade específica.

A maior parte do lixo encontra-se nas margens do córrego Machadinho e do ribeirão Baguaçu, que passam pelo PEBA. Esse lixo é jogado pela população nas ruas e proximidades dos fluxos de água e acaba acumulando dentro do Parque.

Para colaborar basta ir até o local, que fica na rua Baguaçu, 1259, na rotatória da Avenida Joaquim Pompeu de Toledo com a Avenida Waldir Felizola de Moraes. O participante deve levar em conta que adentrará área de mata, então é melhor utilizar repelente, calças e calçados apropriados. Não é necessário levar equipamentos, pois a Secretaria de Meio Ambiente terá equipe para orientar sobre a limpeza do local. Em edições anteriores já foram encontrados pneus, vasos sanitários, pedaços de sofás e manequins de vitrine acumulados às margens do Baguaçu e do Machadinho.

FERNANDO VERGA – Araçatuba

você pode gostar também