Secretária da Saúde expõe gastos em audiência e aponta gastos de R$ 5,6 milhões

No período de janeiro a abril deste ano a Secretaria da Saúde de Castilho aplicou R$ 5.690.023,59. Os números foram apresentados em audiência pública na quarta-feira (31). Os vereadores João Paulo e Flávio Nascimento deram início à audiência pública realizada no plenário da Câmara . A apresentação e explanação do demonstrativo do montante e fonte de recursos aplicados durante o primeiro quadrimestre foram feitas pela secretária municipal de Saúde, Janini Nascimento, e os funcionários Mário Henrique e Márcia Zotelli, que compõem a equipe técnica da secretaria.

Quase cem pessoas assistiram a demonstração das despesas, incluindo boa parte do Conselho da Saúde. Por meio de slides, a secretária mostrou aos participantes, os gastos com consultas, exames, medicamentos, transporte de pacientes para outras cidades, entre outros serviços ofertados pela pasta.

Um dos primeiros slides apresentou o quadro de funcionários que atuam em prol de um atendimento mais humanizado em Castilho. São 19 médicos, 11 dentistas, 12 enfermeiras, oito fisioterapeutas, três psicólogos, quatro farmacêuticos,16 auxiliar de enfermagem, mais 12 técnicos, 57 agentes comunitários de saúde, 11 agentes de vetores, mais seis de zoonoses, 30 motoristas, oito atendentes e 10 agentes administrativos. Além de Terapeuta ocupacional, médico veterinário e nutricionista.

Ao todo, soma-se mais de 200 profissionais no CIS (Centro Integral de Saúde) que fazem do atendimento básico ao especializado. “Temos como especialidades aqui em Castilho as consultas de Psquiatria, Ortopedia, Dermatologia e Cardiologia”, relatou a secretária.

ATENDIMENTO
Em quatro meses foram realizadas 22.362 consultas entre atendimento básico e especializado. O montante é superior ao número de habitantes que a cidade tem hoje, em torno de 18 mil conforme dados do IBGE. Esse apontamento de dados gerou bastante discussão no momento. Na opinião da secretária, há casos de um mesmo paciente visitar o CIS frequentemente e isso colabora com o elevado número de atendimentos. “As vezes passa por um médico e não gosta muito do que ouve e acaba marcando nova consulta para passar por outro médico. Isso é um dos motivos. Mas temos vários outros”, explicou Janini.

Porém, o que mais intriga a equipe de Saúde é o número de pessoas que marcam consultas, mas não comparecem. Quase cinco mil pacientes (4.727) faltaram ou cancelaram de última hora seus exames sem tempo hábil de passar a vaga para outra pessoa. “É uma pena, pois temos uma demanda muito grande de pessoas que necessitam desses atendimentos e quando a pessoa marca e não comparece, ela está tirando a oportunidade daquele que realmente precisa”, lamentou a secretária.

Após toda explanação, a audiência foi aberta para perguntas e esclarecimentos. Janini colocou o material a disposição do público para consultas posteriores.

Da Redação – Castilho

você pode gostar também