Araçatuba inicia atividades ambientais com Expedição Baguaçu

Começa neste sábado, 3, a programação da Semana do Meio Ambiente em Araçatuba. A atividade que dá largada à série de eventos é a Expedição Baguaçu, cujo objetivo é construir ações de preservação e conscientização sobre o ribeirão, de onde vem cerca de 70% da água consumida em Araçatuba.  Trata-se de uma parceria entre as ONGs Clube da Árvore e Associação do Grupamento Ambientalista, de Araçatuba e Birigui, respectivamente, empresa Samar e Secretaria de Meio Ambiente de Araçatuba. A iniciativa conta com o apoio do Condema, Programa Escola da Família, Senac, Corpo de Bombeiros, Escoteiros, Polícia Ambiental e Tiro de Guerra. A concentração para a expedição sairá da sede da Samar, na avenida Baguaçu, às 8h.

Cerca de 60 pessoas vão percorrer as margens do ribeirão para traçar um diagnóstico completo das atuais condições e definir ações de preservação, reposição de mata ciliar e conscientização da população do entorno, além de identificação das espécies que compõem a fauna e flora.

Esta primeira etapa da expedição percorrerá desde as proximidades da Rodovia Marechal Rondon, passando pelos bairros Nova Iorque e Alvorada até a captação de água para o abastecimento da cidade, na SAMAR. Serão 3,6 quilômetros de trilha e em alguns pontos haverão trechos alagados, de grande erosão, cercas de arame farpado e partes escorregadias. O grau de dificuldade da trilha é moderado, mas é o mais alto encontrado na área urbana de Araçatuba.

RECOMENDAÇÕES

A comissão organizadora da Expedição pede aos interessados que encaminhem e-mail com nome completo e RG para o endereço eletrônico comunicacao@samar.eco.br .

E orienta para que utilizem durante a trilha os seguintes itens e trajes: mochila, calça jeans, blusa de manga longa, botas, protetor solar, repelente e chapéu. Haverá distribuição de kit lanche.

PONTO CRÍTICO

No dia 10 de maio foi realizada uma pré-expedição para reconhecimento da área, quando forma detectados pontos críticos que necessitarão de intervenção rápida. É o caso das proximidades da ponte do bairro Alvorada, onde o lixo é despejado diretamente no Baguaçu e há grande área de degradação da mata ciliar. Além da recuperação da área está previsto o trabalho de conscientização da população do entorno para que se tornem agentes protetores do ribeirão.

Alguns pontos positivos também foram identificados na flora local, como a identificação de três matrizes florestais: uma árvore de Genipapo, uma árvore Leiteiro e uma palmeira Macaúba, além de herbáceas Guaraná Mirim e outras. Foram registradas outras espécies de vegetais e também animais, que aguardam identificação. O diagnóstico completo será apresentado no dia 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, juntamente com os planos de ação para a realização das melhorias necessárias no trecho do ribeirão.

De FERNANDO VERGA – Araçatuba

você pode gostar também