Pioneira, Dona Catharina morre em Araçatuba aos 109 anos

Dona Catharina completou 109 anos há 20 dias e se despediu nesta quarta-feira

“Uma mulher guerreira, lutadores, humilde, que sempre trabalhou e mostrou que trabalhar não mata ninguém”. Assim Laércio Inácio, 75, filho de Catharina Pavan Inácio, de 109 anos, vai lembrar da mãe, que faleceu ontem (31) em Araçatuba após contrair uma pneumonia.

A idosa estava internada em um hospital particular da cidade há dois dias e não resistiu. No velório, realizado no Memorial Laluce, as homenagens eram grandes à moradora mais antiga e ícone da terra do Boi Gordo.

“Sempre foi uma mulher com um espírito de coragem muito grande, de muita sabedoria, que sempre tentou fazer o melhor por todos. É um exemplo para a família toda”, disse a nora, Bernadete Rodrigues Inácio.

A foto que ilustra a reportagem é do dia 14 de maio. Ao lado de filhos, netos e bisnetos, Catharina completava 109 anos, cantava e contava suas histórias. Sempre alegre, nunca precisou de remédios e queria trabalhar todos os dias.

“Ela ficava reclamando que não podia mais fazer nada e tinha que repousar. Com 109 anos ela queria trabalhar e ficava incomodada porque não podia. Sempre foi muito ativa”, disse o filho.

HISTÓRIA

Catharina nasceu em Jardinópolis (SP), em 1908, mas mudou-se para Araçatuba em 1913, com cinco anos, quando a cidade ainda era, no máximo, um vilarejo. A mulher viu, literalmente, Araçatuba nascer, crescer e se tornar a maior cidade da região.

“Quando cheguei aqui, a cidade era só mato. Nós tínhamos um sítio aqui, onde hoje é o bairro Vila Mendonça, e eu acordava todos os dias às 4h30 para tirar leite junto com a minha irmã”, disse ela em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL, em 2012.

A idosa morou desde 1913 até morrer no mesmo local. Sempre ajudou nas obrigações da casa e também contribuía nos trabalhos rurais junto com o pai. Ela se casou aos 22 anos e teve cinco filhos: Waldomiro, Guiomar, Laércio e Wilson Inácio, além de Walter Inácio, filho mais velho e que faleceu em 1994.

Em 2012, Catharina já fazia poucos serviços domésticos e passava o tempo com o papagaio, que se chamava Bonifácio. O pássaro tinha 30 anos, mas morreu no ano passado após ser atacado por um cachorro.

Dentro de sua pacata e tranquila rotina, dona Catharina se tornou um ícone de vitalidade para Araçatuba. A cidade deu adeus, ontem, do seu habitante mais antigo.

Catharina Pavan Inácio será enterrada hoje, a partir das 9h30, no Cemitério Municipal da Saudade, em Araçatuba.

KAIO ESTEVES – Araçatuba

você pode gostar também