Cetesb concede licença a aterro de Birigui para operação por cinco anos

A Prefeitura de Birigui conseguiu da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) a licença de operação do aterro sanitário municipal, no quilômetro 31 da rodovia Deputado Roberto Rollemberg (SP-461), pelo prazo de cinco anos. O espaço estava sem licença de operação desde dezembro de 2008 e corria o risco de ser interditado. A licença foi emitida na semana passada.

Para conquistar o documento, a pedido do prefeito Cristiano Salmeirão, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável realizou um amplo diagnóstico no início da gestão, que resultou em uma força-tarefa envolvendo também as secretarias de Serviços Públicos, Água e Esgoto e Obras para sanar os problemas envolvendo o aterro.
Construção de canaletas, disposição correta dos resíduos, mão de obra especializada, monitoramento geotécnico, análise das águas, entre outras melhorias foram realizadas nos primeiros 70 dias do ano. Como resultado, além da licença de operação emitida no dia 26, o aterro obteve nota próximo de 9 no IQR (Índice de Qualidade de Resíduo) avaliação feita pela Cetesb.

“Conseguimos realizar, com essa força-tarefa, o que não foi feito por quase nove anos. Conseguimos essa licença em menos de cinco meses. Isso é fruto de muito dedicação dos profissionais de nossa equipe de gestão. Parabéns aos envolvidos”, comentou o prefeito Cristiano Salmeirão.

“É de fundamental importância ao município a adequada operação do aterro sanitário para garantir que não ocorra contaminação do solo, das águas superficiais, do lençol freático e evitar que situações inadequadas de trabalho ocorram no local, evitando o risco de acidentes e contaminação dos colaboradores”, afirmou o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentado, Juliano Salomão.

COLETA SELETIVA
A Cetesb apontou que o município deve implantar a coleta seletiva para que o aterro sanitário só receba os rejeitos sólidos (o que não é passível de reciclagem). Em parceria com a AGA (Associação do Grupamento Ambientalista), a Prefeitura de Birigui lançou recentemente um projeto-piloto de coleta seletiva no Condomínio Monte Carlo, no bairro Residencial Manuela.

O objetivo com o projeto-piloto é coletar informações para posteriormente expandir a coleta seletiva em toda a cidade. Para isso, a administração municipal está apoiando a reativação de uma cooperativa de catadores de resíduos recicláveis, fundamental no processo. A previsão é que as atividades desta cooperativa tenha início em julho.

“A coleta seletiva garante melhores condições aos catadores de materiais recicláveis, diminui as chances de poluição ambiental, estimula a economia, aumenta a vida útil e reduz os custos de operação do aterro sanitário, por conta da diminuição de resíduo descartado irregularmente”, afirmou Salomão.

Conforme o secretário, o prefeito Cristiano Salmeirão entende que na gestão dos resíduos sólidos municipais o resíduo domiciliar é fonte de riqueza e merece uma atenção especial. “Por isso, é um dos compromissos do chefe do Executivo com a população a implantação da coleta seletiva em todos os bairros de Birigui”, completou.

Da Redação – Birigui

você pode gostar também