Restos mortais de Garrincha desaparecem em cemitério de Magé

Ninguém sabe onde foram parar os restos mortais de Garrincha. Morto em 1983 vítima do alcoolismo, um dos maiores jogadores de futebol da história foi enterrado no Cemitério Municipal de Raiz da Serra, em Magé (RJ), no entanto, após ser exumado, seu corpo foi perdido, e a prefeitura da cidade não sabe precisar onde ele foi parar. A informação é do jornal Extra.

Atual prefeito de Magé, Rafael Tubarão decidiu realizar uma homenagem ao jogador, que neste ano completaria 84 anos. Ao pedir informações sobre o local do sepultamento do bicampeão mundial, a Secretaria de Ação Social não soube responder onde os restos mortais do ídolo botafoguense estavam. “Houve uma informação de que o corpo foi exumado e levado para um nicho [uma espécie de gaveta no cemitério], mas não há documento da exumação”, disse Priscila Libéria, administradora do cemitério, à reportagem do jornal.

Quem confirma a informação é uma das filhas de Garrincha, Rosângela Cunha Santos, que se mostrou bastante chateada com o sumiço dos restos mortais do pai. “Fui informada pelos responsáveis do cemitério que haviam tirado o corpo do meu pai do local onde ele havia sido sepultado. Era uma cova que pertencia a uma tia que também já morreu. Disseram que estaria em um nicho, mas não se tem certeza de nada. Ninguém da família foi informado da exumação do corpo. É difícil para mim e para minhas irmãs não saber onde está o corpo do nosso pai”, disse Rosângela.

Apesar do imbróglio, o prefeito de Magé garante que irá fazer exames de DNA, se a família de Garrincha permitir, para descobrir quais são os restos mortais do grande ídolo do futebol brasileiro.

Da Redação – Rio de Janeiro

você pode gostar também