Unidades de saúde de Três Lagoas passam por dificuldades com a falta de profissionais

O Processo Seletivo Simplificado – PSS foi criado com o intuito de suprir a necessidade de profissionais em diversos pontos da rede municipal de saúde, já que as vagas do concurso vigente não cobrem a demanda da rede para cargos específicos do PSS, como algumas especialidades médicas e farmacêuticos suficientes, por exemplo.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que médicos da Unidade de Saúde do Santa Luzia pediram exoneração, o que desfalca ainda mais o quadro de servidores da saúde, gerando transtornos aos pacientes atendidos no local.

A Unidade, que realiza consultas com hora marcada, está também com uma médica em situação de licença maternidade. Portanto, diversos atendimentos não serão realizados até que novos profissionais sejam contratados, já que é impossível o remanejamento de profissionais para o local, como informou a secretária de Saúde Angelina Zuque. “Nós trabalhamos com um quadro exato de profissionais, o que gera transtornos e caos caso falte um profissionais de extrema importância. Não podemos remanejar profissionais para atendimentos, pois todos já possuem o número máximo de atendimentos onde estão locados”, completou.

Segundo a secretária, os pacientes que possuem consultas agendadas nessa Unidade de Saúde precisam ir ao local para o reagendamento do atendimento em outros postos.

Além da unidade do Santa Luzia, outros locais estão sem atendimento ou trabalhando com um quadro de funcionários abaixo do necessário, como na farmácia do CEM, que atendia apenas durante um período por haver apenas uma farmacêutica. A profissional também não se encontrará mais no local, por motivo de aposentadoria, o que também prejudica pacientes que precisam do atendimento farmacêutico, dependendo também da contratação pelo PSS, como medida emergencial.

Da Redação

você pode gostar também