Arsenal vence Chelsea em final de tirar o fôlego e se torna maior campeão da Copa da Inglaterra

A temporada mais conturbada do Arsenal nos últimos anos terminou com um título. Neste sábado, uma semana depois de ficar sem vaga na próxima Uefa Champions League, o time de Arsene Wenger venceu o Chelsea, por 2 a 1, e conquistou a Copa da Inglaterra, se tornando o maior campeão do torneio.

Até a taça, contudo, não faltaram emoções: o Arsenal fez um primeiro tempo impecável, abriu o placar em lance polêmico e se aproximou ainda mais do título quando ficou com um homem a mais. Já após a expulsão, porém, o Chelsea buscou o empate, mas Aaron Ramsey foi herói e marcou o segundo.

Foi a 13ª conquista dos Gunners na competição que tem o título de mais antiga do futebol no mundo, superando o empate com o Manchester United. Já Para Wenger, foi sua sétima taça, também se isolando como recordista, batendo George Ramsay, que treinou o Aston Villa entre 1884 e 1926.

Domínio do Arsenal

O gol que abriu caminho para a conquista histórica, logo aos três minutos, foi para lá de polêmico. Kanté tentou afastar na entrada da área, mas acertou Alexis Sánchez. A bola ia sobrando para Aaron Ramsey, que estava impedido, mas o próprio chileno invadiu a área e finalizou para o fundo das redes.

A arbitragem, inicialmente, assinalou o impedimento, mas após conversa com o auxiliar, o juiz Anthony Taylor assumiu a responsabilidade e decidiu validar o tento, para a revolta dos jogadores do Chelsea, que também reclamaram de toque de mão de Sánchez no momento em que Kanté afastou.

Controvérsia à parte, o Arsenal foi amplamente superior no primeiro tempo e teve três chances incríveis de marcar, mas parou duas vezes em Gary Cahill em cima da linha e mais duas na trave no mesmo lance. Para o Chelsea, nos 45 minutos iniciais, a melhor oportunidade foi com Diego Costa, mas sem tanto perigo.

Haja coração!

Já no segundo tempo, o Chelsea sofreu um duro golpe na tentativa de empatar, aos 22 minutos. O nigeriano Victor Moses invadiu a área pela esquerda e se jogou na área, sem sequer ser tocado por Alex Oxlade-Chamberlain. Como o atacante já tinha amarelo, recebeu o segundo e acabou expulso.

622_c79a1e80-4e5b-311a-8d3f-4b13fd15fb64

Foi com um a menos, contudo, que o Chelsea conseguiu arrancar a igualdade, aos 30 minutos, com Diego Costa. O atacante abriu espaço entre dois marcadores já no domínio, bateu, e Ospina não conseguiu defender.

Para o alívio do torcedor do Arsenal, que parecia não acreditar no que acabara de acontecer, o 2 a 1 saiu logo depois, aos 33, quando Ramsey saiu sozinho e cabeceou para o fundo das redes. Delírio vermelho em Wembley.

Para lavar a alma…

A decisão deste sábado foi a segunda da Copa da Inglaterra entre Arsenal e Chelsea, sendo que, em 2002, quem comemorou também foi o lado vermelho, com vitória por 2 a 0. Desde aquela derrota, os Blues chegaram a outras quatro finais do torneio e vencido todas (2007, 2009, 2010 e 2012).

Nos últimos quatro anos, porém, foi o Arsenal que dominou a FA Cup, com três títulos, desempenho conseguido pela última vez justamente com o Chelsea, no intervalo de 2009 e 2012.

O título ainda serve de consolo para o Arsenal depois de ficar sem vaga na Uefa Champions League pela primeira vez em 20 anos, desde 1996. A campanha ruim na Premier League, apenas com o quinto lugar, colocou pressão como nunca em Wenger, que segue com futuro indefinido para a próxima temporada.

Antonio Conte, campeão inglês logo em seu primeiro ano no Chelsea, amarga, por outro lado, seu segundo insucesso em uma copa nacional na carreira. Na Itália, com a Juventus, também foi derrotado em decisão, na temporada 2011/12, perdendo para o Napoli – curiosamente, também tinha vencido a liga.

Fonte: ESPN Brasil

você pode gostar também