Prefeitura alerta sobre riscos de negociações clandestinas em conjuntos habitacionais

Atualmente, Três Lagoas possui 3.574 famílias morando em conjuntos habitacionais. Um fator que vem preocupando o Departamento de Habitação da Prefeitura é o do aumento do índice de negociações ilegais envolvendo os imóveis. A diretora do departamento, Sonia Góis, explica que todos imóveis de programas sociais públicos não podem ser vendidos, alugados ou tampouco cedidos a terceiros. “Negociações que envolvam esses imóveis são ilegais e, se constatada, os beneficiários perderão o direito de compra das casas ou apartamentos.”, disse Sonia.

A diretora também alertou sobre a invalidade dos contratos “de gaveta”, muito usados por pessoas mal intencionadas. “Esses contratos não valem. Havendo uma vistoria da Prefeitura ou da Caixa, prevalecerá a Lei, que supera negociações clandestinas.”, completou.

Moradores dos conjuntos podem denunciar a qualquer momento a má utilização dos programas habitacionais. Basta comparecer ao departamento, localizado na Rua Orestes Prata Tibery, N° 457, Centro, ou pelo telefone (67) 3929 1845 ou (67) 3929 1846.

As casas populares em Três Lagoas estão divididas da seguinte maneira:

Chácara Imperial 253 Unidades Habitacionais em 4 pontos (Orquídeas II 30, Margaridas 17, Hortênsias II 15 e chácara imperial 191)

FNHIS (Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social) 0 a 3 salários

Violetas 1 – 240 Unidades Habitacionais

Violetas 2 – 215 Unidades Habitacionais

124 Unidades (Girassóis 24, Lírios 36, Hortência I 48 , Orquídeas I 16)

Orquídeas 60 (Guanabara)

Azaleia 26 (Quitado escrituras entregues)

PSH (Programa de Subsidio Habitacional) 0 a 1 salário

Novo Oeste 1224 (8 condomínios: Tuiuiú 160, Tucano 160, Arara 160, Ema 160, Bem-te-vi 160, Andorinha 160, Pardal 160 e Pavão 104 )

Orestinho 1432 – (Orestinho I 432, Orestinho II 432, Orestinho III 568)

você pode gostar também