Polícia começa a juntar documentos

Um inquérito policial por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) foi aberto, ontem de manhã, menos de 12 horas após o incidente pelo delegado Raoni Spetic da Silva, do 1º Distrito Policial, para o início das investigações. “Vamos iniciar o trabalho com a oitiva (depoimento) de pessoas que estavam no local na hora da explosão e também dos diretores da empresa”, revelou. Esta primeira etapa, estima o policial, deve levar ao menos uma semana.

A fase mais demorada será a da elaboração de laudos e da obtenção de documentos do maquinário, assim como de registros da manutenção. “Vamos levantar as condições deste equipamento e apurar se era usado dentro de sua capacidade, além de sabermos se havia manutenção adequada”, disse.

Dois peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil – um de Andradina e outro de Araçatuba – trabalharam durante todo o dia no galpão que desabou, com bombeiros e técnicos de segurança. “O laudo da perícia deve ficar pronto em duas, três semanas”, estimou Raoni Spetic. O prazo básico para a conclusão do inquérito é de 30 dias.

Em uma semana, a Defesa Civil deve emitir um laudo sobre a situação da estrutura do prédio, que pode ter sido abalada pela explosão.

Da Redação, Valdecir Cremon – Andradina/SP

você pode gostar também