LR1
O que você
busca?
BUSCAR
Etc
postado em 17/01/2017 às 11h16min

Sueide Torres: reinvindicações e ações no comércio de Três Lagoas

Empresário fala do bom momento da economia de Três Lagoas
Mariane Martins - Três Lagoas
Tamanho da
Letra
Diminuir Letra Aumentar Letra
Empresário fala do bom momento da economia de Três Lagoas (Foto: Divulgação)

Nascido em Três Lagoas há 63 anos, o empresário e presidente do Sindivarejo- (Sindicato do Comércio Varejista de Três Lagoas), Sueide Silva Torres, nutre a tradição da família e mantém até o hoje a empresa do ramo de óculos, a Ótica Estrela D’alva. De família de joalheiros e relojoalheiros, Sueide Torres, aprendeu o ofício e passou a levar a profissão no âmbito empresarial.

Torres conta que foi partir daí que começou a participar de reuniões com empresários de outros segmentos do comércio, para então formarem uma Associação de pequenas indústrias em Três Lagoas, para fomentar e valorizar os empresários locais. “Em meados de 1984 quando estávamos praticamente montando uma Associação, foi quando nós fomos procurados pelo ‘Zé Coco’, que então era o presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, e nos convidou para integrar a Associação ao invés de montar outra. Foi a partir daí que ingressamos na Associação. Fui presidente em 1985 a 1989. Foi a partir daí que acabei me envolvendo com as entidades de classe do município”, recorda.

Em um balanço que faz de uns tempos para cá, o empresário destaca o crescimento do setor comercial graças à industrialização que o município teve no decorrer dos anos. Ele atrela a mudança de cenário, que antes era da pecuária para cultura de eucalipto, como fator principal de crescimento com a instalação do Senai. “O Senai foi a peça chave que Três Lagoas precisava para o seu progresso. Na época, nós conseguimos a doação do terreno que antes era da prefeitura e passou a ser do Senai. Foi aí que a cidade se desenvolveu com mão de obra qualificada para as indústrias. E isso foi o start para empresários e pessoas de fora virem até aqui em busca de emprego e o comércio por sua vez se fortaleceu. Óticas, farmácias, lojas, supermercados, enfim, todas as áreas comerciais tiveram um aumento significativo”, destaca.

“NINGUÉM FAZ NADA SOZINHO”
Desde 2014 como presidente do Sindivarejo, nos desafios que enfrentou para fortalecer e manter o comércio de Três Lagoas aquecido e valorizado, Sueide Torres ressalta que todo resultado obtido até hoje foi consequência do trabalho que já vinha sendo feito aos poucos para que o comércio atingisse o patamar atual. Como presidente o empresário enfrentou muitos desafios perante a entidade.
O empresário reconhece que ainda falta vencer novos obstáculos para potencializar o varejo local, mas destaca que recebe ajuda de outros poderes públicos e privados. “O papel fundamental do sindicato é promover o comércio e dar sustentação para que ele funcione da melhor forma possível, fazendo com que tenha um bom relacionamento com outros sindicatos da classe de empregados e trabalhadores e órgãos públicos. Por nós termos amizade com esses órgãos, faz com que prestemos um serviço melhor para o comércio de Três Lagoas”, comenta.

REESTRUTURAÇÃO DO COMÉRCIO
O munícipio de Três Lagoas assim como o comércio varejista local é destaque no âmbito nacional e regional, respectivamente, como o município que está na contramão da crise que o país enfrenta. Sueide Torres enfatiza que a pujança do comércio se deu a industrialização no município. “Como nós podemos ver, esse final de ano muitas cidades tiveram problemas de faturamento, falta de pagamento de salários e etc., nós (comércio de Três Lagoas), não passamos por isso, conseguimos atravessar com poucas baixas e fechamentos de empresas. Isso foi um fator decisivo para termos sucesso nesse trabalho”, ressalta.

Conforme o empresário, uma de suas reinvindicações diz respeito à permanência de camelôs na área central da cidade e a reestruturação da zona azul. De acordo com ele a permanência desses indivíduos é desleal com o empresário que paga impostos e oferece emprego. “Alguns anos atrás foi eliminada a permanência de camelôs no centro da cidade, mas hoje eles vieram com mais força e estão nas calçadas das lojas. Nós precisamos fazer ver aos órgãos competentes que eles precisam praticar os atos necessários para que tenhamos sucesso no nosso empreendimento. Não adianta nada fazer todo esforço para ter uma empresa funcionando na legalidade se há uma força contrária que não tem as mesmas regras de funcionamento que nós temos. Não é justo. Tem que ser bom para todos os lados”, enfatiza.

DESAFIOS A SEREM ENFRENTADOS
Entretanto nem tudo é positivo quando se faz uma análise mais apurada dos desafios pelos quais passa o comércio local, já que requer uma atenção do poder público, estadual.
Um deles se refere à infraestrutura e apoio para que o empresário consiga fazer seu trabalho com dignidade e tranquilidade. O presidente dá exemplos como forma de melhorias nas legislações tributárias, que segundo ele o diferencial de alíquotas de São Paulo e Mato Grosso do Sul prejudica um pouco o comércio de Três Lagoas. “Nós temos um concorrente do outro lado do rio, que é o estado de São Paulo. Temos uma boa estrada para o estado (São Paulo), mas não temos uma boa estrada para Campo Grande, então, isso prejudica um pouco o nosso comércio. Porque a facilidade que nós temos em atravessar o rio Paraná e fazermos compras no estado de São Paulo é muito grande. Muitas pessoas fazem suas compras em Araçatuba, Rio Preto e, Três Lagoas acaba ficando para trás. Nós precisamos fazer com que essas atuações do sindicato façam valer Três Lagoas no mesmo patamar das cidades vizinhas do estado de São Paulo”, conclui.

Espalhe essa notícia
|
0 Comentários Comentários
Comentar Comentar
LR1 Siga-nos no Siga-nos no Twitter Faça Parte da Comunidade Lr 1 no Faça Parte da Comunidade Lr 1 no Orkut SRC na WEB   |   Anuncie no Lr 1   |   Fale com o Lr 1   |   Privacidade   |   Faça do Lr 1 a sua página inicial WTC Brasil Todos os direitos reservados - 2010 Jornal O Liberal Regional