LR1
O que você
busca?
BUSCAR
Esportes
postado em 12/12/2011 às 08h39min

Voluntários ensinam arte milenar a alunos da Apae

Meninos e meninas praticam luta e seus princípios, entre os quais harmonia, cordialidade e qualidade de vida
DA REDAÇÃO, KAIO ESTEVES - ARAÇATUBA
Tamanho da
Letra
Diminuir Letra Aumentar Letra
Leonardo Moreno/O Liberal
MAIS CALMO - Gilberto Cândido, (à esqu) aluno da Apae, reconhece: está mais calmo depois que começou a praticar caratê

Um projeto voluntário, e pioneiro, na área esportiva está sendo desenvolvido na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Araçatuba. Trata-se do “Projeto Educador com Mãos Vazias”, desenvolvido pelo Grupo Hisatugo de Caratê, que tem como objetivo estimular o raciocínio e coordenação das crianças através da prática da arte milenar japonesa.

Existente há um ano, o projeto tem como público-alvo 50 alunos de ambos os sexos, que praticam caratê todas as quintas-feiras, das 16h às 17h. O sensei Fábio Hisatugo, fisioterapeuta, educador físico e faixa preta de caratê do 5º Dan pela Federação Paulista e Confederação Brasileira conta que houve uma melhora muito grande dos alunos em relação à coordenação motora e ansiedade.

De acordo com o professor, os alunos eram nervosos e ansiosos, mas já adquiriram muito da filosofia da arte milenar japonesa, que prega disciplina, cordialidade, lealdade, harmonia, concentração, coordenação motora, equilíbrio, cognição, prevenção de doenças, qualidade de vida, defesa pessoal, equilíbrio emocional, respeito a regras e compreensão das pessoas. “No começo foi difícil, mas hoje já têm muito mais tranquilidade para obedecer o que a gente passa e a melhora na coordenação motora deles foi impressionante", afirma.

Hisatugo é auxiliado pelas caratecas Evelin Roberta de Oliveira (faixa preta, 1º Dan), Beatriz Ariane Salvador (faixa marrom) e pela fisioterapeuta Cláudia Souza Carvalho Bertoldo (faixa marrom). "É gratificante. A evolução é impressionante e eles estão aprendendo a, não só lutar caratê, mas também a ter princípios, melhorar como pessoas", diz Evelin Roberta, que, assim como Beatriz e Cláudia, é voluntária no “Projeto Educador com Mãos Vazias”.

As líderes de programas de escolaridades da Apae, Rita Cardoso e Sandra Macedo dos Santos, revelam que houve uma melhora significante dentro da sala de aula. "Eles melhoraram muito, ajudam até durante as aulas", contam. Em 2012, o projeto se estenderá também para o público idoso da Apae. Serão inicialmente 30 idosos que terão oportunidade de aprender a arte marcial, mas o objetivo é, aos poucos, aumentar o número de alunos.

Em discurso acelerado e com muita animação, o aluno Gilberto Cândido, 25 anos, afirma que sente uma melhora significativa em sua vida depois que começou a praticar o caratê. "É muito legal. Aprendi a golpear e estou mais calmo agora", disse. Mesmo quando não está na Apae, Gilberto frequenta academia de caratê. "Esqueci meu kimono hoje porque estava em uma festa comendo bolo e tomando refrigerante", disse, provocando o riso dos colegas. "É gratificante observar a felicidade deles quando estão aqui, lutando o caratê", revela Hisatugo.

A Apae de Araçatuba atende alunos de várias cidades da região como Gabriel Monteiro, Brejo Alegre, Santo Antônio do Aracanguá, Clementina, Bilac e Rubiácea. São 537 crianças que frequentam diariamente o local.

Espalhe essa notícia
|
0 Comentários Comentários
Comentar Comentar
LR1 Siga-nos no Siga-nos no Twitter Faça Parte da Comunidade Lr 1 no Faça Parte da Comunidade Lr 1 no Orkut SRC na WEB   |   Anuncie no Lr 1   |   Fale com o Lr 1   |   Privacidade   |   Faça do Lr 1 a sua página inicial WTC Brasil Todos os direitos reservados - 2010 Jornal O Liberal Regional