LR1
O que você
busca?
BUSCAR
Nossa Cidade
postado em 16/02/2017 às 10h44min

Réu que matou homem por chamar a esposa de ‘gostosa’ pega 8 anos de prisão

Márcio Zeni - Araçatuba
Tamanho da
Letra
Diminuir Letra Aumentar Letra

Em sessão realizada ontem no Fórum de Araçatuba, o Tribunal do Júri condenou à pena de oito anos de prisão em regime fechado o réu Antônio Carlos Soares, conhecido como 'Alagoano', pelo assassinato de Nelson Ivan de Carvalho. O crime aconteceu em 11 de dezembro de 2010. Segundo o processo, Soares matou a vítima a tiros depois que ela chamou a esposa do primeiro de 'gostosa'.

Na mesma audiência foi julgado outro envolvido, José Antônio da Silva, acusado de ajudar o amigo Antônio Soares a deixar o local do crime numa motoneta e, na sequência, de esconder o revólver usado para matar Nelson Carvalho. A arma foi achada mais tarde pela polícia. Silva foi condenado a um mês de prisão no regime aberto.

O Ministério Público denunciou Antônio Soares por homicídio qualificado (vítima não teve chance de defesa). O amigo respondeu por ajudar na fuga do assassino e pela ocultação de arma.

Os jurados condenaram o atirador, entretanto acataram argumento da defesa de que o réu agiu mediante forte emoção. Isso fez com que o tempo de pena caísse de 12 anos para oito.

Com relação ao outro acusado, os jurados reconheceram que ele ajudou o criminoso. No entanto, o júri o absolveu pelo crime de esconder a arma. O Promotor de Justiça Adelmo Pinho informou ontem à reportagem do O Liberal que vai recorrer, apenas, da decisão que absolveu José da Silva por ocultar o revólver.

Os dois acusados estavam em liberdade. O juiz que presidiu a sessão, Pedro de Siqueira Pretto, concedeu o direito a Antônio Carlos Soares recorrer em liberdade.

HISTÓRICO
Consta no processo que Antônio Carlos Soares, conhecido como 'Alagoano', estava em um bar na Rua Carlos Berguer, no Verde Parque, quando a vítima passou em frente ao estabelecimento e lhe disse: "Alagoano, sua mulher é bonita e gostosa e sua filha possui belos olhos azuis". A frase foi o suficiente para Antônio Soares ir até em casa, onde apanhou um revólver. Com a arma dentro do bolso, sob a camisa, ele retornou ao bar e atirou três vezes contra a vítima.



Espalhe essa notícia
|
0 Comentários Comentários
Comentar Comentar
LR1 Siga-nos no Siga-nos no Twitter Faça Parte da Comunidade Lr 1 no Faça Parte da Comunidade Lr 1 no Orkut SRC na WEB   |   Anuncie no Lr 1   |   Fale com o Lr 1   |   Privacidade   |   Faça do Lr 1 a sua página inicial WTC Brasil Todos os direitos reservados - 2010 Jornal O Liberal Regional